Eu aqui, e tu, tão fora de mim…

Eu aqui, e tu, tão fora de mim

 

Separados pelo mar

Cuspindo os olhos pelo horizonte

Vou inspirando aromas imaginários

Tentando com eles estabelecer uma ponte.

 

Vou servir-me das ondas do mar

Como catapulta do meu canto

E o vento dançará

Ao ritmo do meu impulso

Arrastando-me com ele.

 

Vou cobrir-me com as nuvens

Como se fosse um xaile.

Irei por cima do vento

Antes que o tempo chegue por mim.

A chuva será o meu leme

E o sol o meu catalisador sem fim.

 

As vagas serão o meu ritmo.

Chegarei completo, sem ecos nem sombras

Deixarei a saudade por aqui,

Amorfa e infeliz,

Terei os poderes do universo

Todos a olhar por mim.

                                                               Jorge Matos Jr.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!