Estratégias quânticas de cura…

Estratégias quânticas de cura.

  1. Você é um co-Criador: crie o corpo que você deseja.

Não precisamos resignar-nos a doenças e desconfortos ou de pobres resultados na saúde, muito menos o nosso destino genético. As crenças sociais ou culturais profundamente enraizadas podem ter-nos ensinado de outra forma, mas a verdade sobre o design humano sob uma perspectiva quântica é que somos realmente designers da realidade física que criamos para nós mesmos, incluindo tudo o que acontece aos nossos corpos. Temos uma capacidade incorporada para manifestar reais mudanças no corpo, directamente ao nível celular e genético e directamente através da nossa consciência, mesmo sem qualquer intervenção física ou quaisquer tratamentos. Nós somos mais propensos a ficarmos doentes se permanecermos presos nas nossas crenças (que nos convenceram) de que muitos problemas de saúde estão relacionados com a genética defeituosa, que são herdados ou que desconfortos e doenças acontecem como o resultado de eventos infelizes sobre os quais não tivemos controlo. Não há necessidade de acreditar que não merecemos a perfeição nos nossos próprios corpos. A consciência desta importante verdade é o nosso ponto de partida, desde que nos lembremos, que se não houvesse imperfeição, não haveria nenhum impulso para criar!

  1. Você é o seu corpo:

Altere os seus pensamentos e emoções negativas. O corpo de energia subtil (campo quântico pessoal) que envolve o nosso corpo físico, contém padrões energéticos que reflectem os nossos pensamentos e emoções. Esses padrões estão a transmitir sinais electromagnéticos que são recebidos pela parte não codificada do nosso ADN, que funciona de forma quântica e funciona como antenas. Os sinais negativos ou altamente carregados são recebidos pelo nosso ADN quântico, como informação de frequência que é “desinformação “. Estes sinais são então comunicados e descodificados pelo nosso ADN físico (a parte codificada), a fim de fornecer as instruções que regulam todo o funcionamento celular e biológico no corpo. Quando a informação de frequência fornecida é incorrecta ou de má qualidade e as partes quânticas e físicas do nosso ADN não se estão a comunicar muito bem, o nosso corpo começa a responder às instruções de acordo com o padrão, o que, em última instância, pode deixar-nos doentes. Ao prestar atenção aquilo que nos permitimos a pensar e a sentir, podemos criar energia mais positiva e neutra nos nossos campos. Quando exercemos a escolha consciente sobre como nos transportamos através da vida, podemos literalmente mudar a informação da frequência que está a ser transmitida para o nosso ADN físico, que por sua vez recodifica as nossas sequências de genes e fornece melhores instruções para o corpo.

  1. Os seus desafios criam oportunidades:

Desenvolva um desejo sincero e uma intenção clara de cura. Para conseguirmos perceber os benefícios de trabalhar com a nossa consciência para recodificar o nosso ADN, devemos trabalhar de dentro para fora para efectuar as mudanças que gostaríamos de ver nos nossos corpos. Na verdade, é o “EU” que inicia e permite a cura. Não acontece como um resultado directo da intervenção de um terapeuta ou de um profissional de saúde em nome do paciente, sem o envolvimento e a intenção conscientes de ambos. Precisamos estar conscientes da verdade de quem está no momento e sermos capazes de ver como é que esses aspectos de nós mesmos nos poderiam ter impedido de alcançar uma saúde melhor. Quando aceitamos estas, como oportunidades em vez de impedimentos, podemos desbloquear o potencial escondido que se encontra dentro do nosso ADN quântico para recuperarmos e recolocarmos os nossos corpos em equilíbrio. Nenhuma força de vontade pode superar os aspectos de nós mesmos que levam aos fundamentos da doença e do sofrimento. Não podemos simplesmente decidir sermos diferentes. Precisamos entregar-nos a nós mesmos e ao processo de cura incondicionalmente, e sobretudo com a ausência de Ego, para que possamos honrar-nos sem julgamentos e de forma mais positiva e carinhosa.

  1. O seu corpo é sábio:

Confie na sabedoria do seu “corpo inteligente”. O nosso ADN, interage com a nossa consciência através de um aspecto inseparável de nós, conhecido como o EU inato ou “corpo inteligente”. Ele forma a ponte essencial entre a nossa estrutura celular, o nosso ADN e a nossa consciência e é responsável por recuperações misteriosas, remissões espontâneas, bem como os desaparecimentos sem explicação de doenças incuráveis. Ele representa uma inteligência mais profunda que sabe tudo o que está a acontecer quimicamente em nós e exactamente o que precisamos fazer para ficarmos equilibrados e saudáveis. Ele também sabe aquilo a que somos alérgicos, que alimentos ou suplementos nos podem apoiar, e quais podem ser prejudiciais. Estamos em comunicação com isso, quando usamos técnicas como testes musculares ou formas de trabalho corporal, tal como a osteopatia ou a linguagem corporal.  A nossa função é ajudar nos processos, ouvindo atentamente e confiando na nossa percepção sensorial, como um comunicador para o corpo-inteligente, que nos vai informando do que o nosso corpo precisa.

  1. O seu ADN e as suas células estão a ouvir:

Substitua conscientemente o seu modo padrão. O ADN não evolui apenas ou se activa por conta própria, independentemente das influências que possam ser exercidas sobre ele. Ele espera que sejamos nós a dirigir. O nosso ADN descansa em piloto automático e desempenha um conjunto de instruções padrão para as nossas células através do nosso ADN, com base na informação da frequência fornecida, a menos que lhe digamos para fazer algo diferente. Podemos comunicar-nos com nossas células e ADN através das nossas mentes (a voz da nossa consciência) enquanto realizamos uma intenção (o veículo da nossa consciência) para manifestar as mudanças no nosso ADN e nas células que desejamos.

O nosso Akasha.

A nossa mente subconsciente e alma inconsciente e incondicionalmente, tomam nota de todas as nossas experiências, positivas e negativas, incluindo aquelas associadas a traumas, stresses ou lesões extremas, bem como de eventos com carga emocional. Eles são registados como informações de frequência, como os nossos registos Akashicos, que são mantidos dentro da parte quântica do nosso ADN. Sem sequer percebê-lo, armazenamos percepções erradas e auto-limitantes sobre essas experiências que compõem o nosso sistema de crenças. Isso inclui atitudes e convicções que temos sobre nós mesmos e sobre os outros, desejos que nos predispõem a sofrimento desnecessário ou auto-punição, a nossa herança genética, imagem corporal e a nossa capacidade de curar. Como uma forma de memória, esta informação de frequência penetra na nossa consciência e impulsiona o que manifestamos nos nossos corpos. Através da intenção consciente, podemos minar o nosso Akasha, substituindo intencionalmente esses atributos negativos por outros mais positivos, que promovam a saúde, como força, tolerância, auto-aceitação e amor próprio. O nosso Akasha é recalibrado como resultado do intercâmbio, melhorando a qualidade da informação de frequência que o nosso ADN quântico contém e comunica, que é então codificado pelo nosso ADN físico, para criar uma resposta mais efectiva no corpo.

Fale com as suas células

Somos vulneráveis ​​a alguma falta de saúde porque, num nível muito profundo, as nossas células esqueceram-se de como se reparar e se regenerar. Quando a nossa comunicação de ADN não é muito eficaz, grande parte da codificação do nosso ADN físico não está a funcionar. O seu acesso à memória, mantida dentro do nosso ADN quântico é limitado, portanto, não pode fornecer informações de frequência suficientes para as células de forma a poder ajudá-las a lembrarem-se de como funcionar de forma eficiente. A menos que nós as lembrássemos de outra forma, as nossas células simplesmente respondem às instruções que foram impressas pela primeira vez aquando do nascimento. Ao falar directamente com elas, com intenção consciente, podemos lembrá-las da sua capacidade de mudar, reactivar e receber novas informações quânticas que lhes são fornecidas através dos pensamentos, sentimentos e crenças que a nossa consciência interpreta. Podemos dar-lhes permissão de anular as instruções que actualmente possuem e que criam disfunção nos nossos corpos. Não precisamos dar detalhes específicos, desde que a nossa intenção se concentre em expressar o nosso desejo de mudança. Acompanhar esta comunicação celular interna, com visualizações focadas, em como essa mudança pode ser realizada em nós, para os nossos corpos, pode produzir resultados incrivelmente profundos.

Referências bibliográficas: “Althea S. Hawk”

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!