Encontrando-se consigo, observando-se…

“Encontrando-se consigo, observando-se…”!

Você já se enfrentou, você com você, frente ao espelho?

Já tentou ver-se do outro lado, do lado do espelho, a olhar para si através do outro Eu que você vê no espelho?

O espelho é a melhor forma de nos vermos por inteiro, porque quando tentamos ver-nos sem um espelho, vemos muito pouco de nós, não é?

Olhe-se no espelho, olhos nos olhos, viaje lá para dentro daqueles olhos e pergunte a si próprio,

Àquele que está em frente ao espelho, tudo aquilo que precisa de perguntar…

Pode simplesmente perguntar: “Quem és tu?” E espere pela resposta…

Mas primeiro dispa-se de si, observe o seu outro Eu (aquele do espelho)

e perceba o que ele diz e também o que ele não diz…

O que é que podemos fazer para contactar connosco? precisamos de estar em paz interior,

olhar-nos,  vermos bem, aquilo que nunca observamos de facto.

– Tenho uma quase certeza que quando você se olhar no espelho completamente,

você vai ver coisas que nunca viu ou que talvez…apenas não tenha dado muita importância…

 

Então… Comece por fazer um pequeno exercício:

Olhe para a sua mão e perceba o que é: “uma mão”.

Olhe para a mão directamente e olhe para a mão no espelho.

Perceba tudo sobre a mão e como ela é completamente,

sinta-a e verifique cada detalhe, de um lado e do outro.

Depois da observação da mão, veja-se no espelho e perceba aquilo que nunca percebeu ou não ligou importância.

Isso, essa, é uma forma de sentir subtilmente o seu corpo.

Já viu que olhando-se no espelho é como se olhasse para o outro lado de você?

O seu lado direito, está no lado esquerdo e o esquerdo no direito…

Esta é a possibilidade de ver-se de outro ângulo, do ângulo em que as pessoas olham para si!

 Veja-se da forma como os outros olham para você!

E agora, você tem a possibilidade de perguntar-se a si próprio, algumas questões que provavelmente nunca colocou a si mesmo…

– Observe tudo e perceba todas as sensações que você vai sentindo…

– Perceba tudo aquilo que não se tinha apercebido antes…

– Essas sensações que você não tinha dado muita importância.

Eu sei e você também sabe que provavelmente, você nunca se observou tão profundamente…

Percebendo o que é um corpo, o seu corpo, você fica muito próximo de soltar a mente,

e observar com a mente, a mente no corpo…  Subtilmente.

Basta tomar mais atenção a si próprio. Perceber cada centímetro do seu Eu externo e depois ficará mais fácil entender e perceber o seu Eu interno.

Quando você fizer esta pequena experiência, você poderá ver que ela pode funcionar muito bem consigo, se você se permitir a experimentar…

A encontrar o seu Eu que estava “meio escondido” de você mesmo.

Eu acredito que se você fizer esta experiência, é muito provável que você consiga aproximar-se mais de você sem ter os medos a impedi-lo de ser você completamente

– Quando você estiver com você, em frente ao espelho, a tentar concentrar-se…

e se surgirem pensamentos que o tentam distrair, pergunte-se:

 “Se eu não quero pensar esses pensamentos, quem é que está a pensar esses pensamentos?”

 – Quando você faz esta pergunta, o silêncio vem suave e espontâneo, um silêncio fácil, dócil, de concentração e de foco. E os pensamentos?  Esses evaporam-se e deixam o espaço para a quietude que é o melhor espaço para a descoberta das suas consciências.

Você já está perto do seu espelho?!  

Faça o exercício e divirta-se consigo e com você.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!