Alívio e tratamento de dores crónicas

Sugestões breves para alívio e tratamento de dores crónicas

Beber água: O corpo humano é composto de 60% a 70% de água. Beber água permite que os nutrientes viagem por todo corpo e ajudem a eliminar os resíduos metabólicos, além de ajudar a proteger as articulações e os órgãos. A água também é importante para nutrir e manter a coluna vertebral e todas as articulações do corpo saudáveis, devido ao facto dos discos intervertebrais e cartilagens articulares serem compostos por água (quando nascemos o nosso corpo é composto por 80% água mas esta quantidade vai diminuindo ao longo da vida). E á medida que vamos perdendo água, começamos a ficar desidratados. Todos os idosos estão normalmente desidratados. Só que não podemos apenas beber água porque esfoliamos os tecidos, é necessário consumir sal. O corpo humano precisa de sal para ter saúde. Não o sal de mesa mas o sal que não é refinado, (sal marinho ou sal grosso).

Exercícios físicos específicos: O movimento gentil, preciso e controlado estimula o fluxo de nutrientes através das estruturas articulares e musculares que ajudam no processo de cura. Por exemplo, alguns exercícios de pilatos, quando realizados correctamente, estimulam os discos intervertebrais e cartilagens das articulações a eliminarem água e depois encherem-se novamente como uma esponja (um processo necessário para permitir a troca de nutrientes entre os discos e outras estruturas da coluna). Um programa de exercícios guiado por um profissional especialista é parte essencial de qualquer tratamento para coluna. Para pessoas que não tenham problemas de coluna, estes exercícios também são importantes para reduzir o risco de desenvolver problemas no futuro. A programação adequada e a execução correcta de exercícios específicos elaborados por um bom fisioterapeuta, são parte essencial para a prevenção ou cura de qualquer tipo de lesão. Quando o exercício não é possível ou a pessoa não está com energia para isso, tem de ganhar energia para pelo menos, andar lentamente durante 20 minutos, após as refeições. Distraindo a cabeça e relaxando o corpo e os músculos ao mesmo tempo que os tonifica com um passeio, nem que seja da sala para a cozinha ou da cozinha para o quarto, ou até em volta da mesa da sala de jantar.

Alimentação correcta: Uma alimentação balanceada, que inclua a quantidade e variedade adequada de nutrientes e vitaminas, irá nutrir ossos, músculos, discos intervertebrais e cartilagens das articulações, permitindo que funcionem e se recuperem adequadamente. Por exemplo, a vitamina A é um antioxidante que auxilia o sistema imunitário e, consequentemente, ajuda a reparar os tecidos lesionados, assim como também na formação dos ossos. A vitamina A pode ser encontrada na carne vermelha e branca, ovos, nectarina, cenoura, batata-doce e espinafre. A vitamina C é necessária para o desenvolvimento do colagénio, que é importante para o processo que permite que as células se transformem em tecido. Isto é extremamente importante para a cura dos tendões, ligamentos e discos vertebrais lesionados, assim como para manter os ossos e outros tecidos saudáveis. A vitamina C pode ser encontrada em frutas como morangos, kiwi e frutas cítricas, laranja, limão, tomate e em muitos vegetais como brócolos e espinafre. Por isso, a orientação de um nutricionista é muito importante para a prevenção ou cura de qualquer tipo de lesão.

Exercícios físicos x Repouso: Uma reacção típica quando se sente a dor, é a de ficar deitado ou parar qualquer tipo de actividade. Esta abordagem é recomendada por um curto período. No entanto, a longo prazo, a falta de movimento pode retardar o processo de cura. Exercícios específicos e bem executados quase sempre são necessários para reabilitar a coluna, articulações, músculos ou tendões e ajudar a aliviar a dor. Quando realizados de maneira progressiva, gradual e com execução correcta, os exercícios físicos específicos distribuem nutrientes para os discos intervertebrais, cartilagens e tecidos moles ajudando músculos, ligamentos e articulações a recuperarem-se e a manterem-se saudáveis. Consequentemente, uma rotina regular de exercícios ajuda os pacientes a evitar endurecimento e fraqueza e minimiza as dores recorrentes, assim como também reduz a severidade e o tempo de duração de possíveis futuros episódios de dor.

Analgésicos naturais: Algumas pequenas atitudes podem ajudar o próprio corpo a libertar substâncias que aliviam a dor e aceleram o processo de cura: -Qualquer actividade física que aumente o fluxo sanguíneo, estimula o corpo a libertar endorfinas. As endorfinas são analgésicos naturais do corpo e podem ser tão potentes quanto muitos dos analgésicos químicos, elas funcionam bloqueando o sinal de dor para o cérebro. Elas também ajudam a aliviar a ansiedade, o stress e a depressão. É possível que alimentos ricos em “resveratrol” diminuam a velocidade de degradação dos discos intervertebrais e cartilagens articulares. -10 a 15 minutos de exposição solar diária, sendo a melhor hora, ao meio dia, que é quando o sol produz  os raios UVB que são os benéficos e que ajudam o corpo a produzir vitamina D3. As pessoas com produção e um consumo diário adequado de vitamina D3, sentem menos dores do que outros.

Analgésicos Opióides: Evite o uso contínuo e recorrente de analgésicos. Isso pode aumentar a sensação de dor, pois ele modifica a forma com que o cérebro interpreta o estímulo doloroso e, o corpo passará a diminuir a sua própria produção de analgésicos naturais, como as endorfinas. O uso a longo prazo, provoca a diminuição na habilidade de tolerar a dor e aumenta a sensibilidade á dor pelo paciente (o paciente passará a sentir dor diante de um menor estímulo ou passará a sentir mais dor diante do mesmo estímulo). Além disso, o uso contínuo de opióides gera tolerância ao medicamento, ou seja, o corpo precisará de doses cada vez maiores para conseguir o alívio da dor.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!